iPhone XS é mais rápido que qualquer Android

Poucas pessoas sabem realmente interpretar Benchmarks ou o que eles significam, e visto debaixo da lupa, é fácil perceber porque o iPhone Xs é mais rápido que dispositivos semelhantes.

A AnandTech tem sido dos poucos capaz de analisar e interpretar devidamente os resultados dos benchmarks.

No geral, os novos núcleos A12 Vortex e as melhorias arquitectónicas no subsistema de memória do SoC oferecem à nova peça de silício da Apple uma vantagem de desempenho muito maior do que os materiais de marketing da Apple promovem. O contraste com os melhores Android SoCs tem a oferecer é extremamente gritante – tanto em termos de desempenho quanto em eficiência de energia. Os SoCs da Apple têm melhor eficiência energética do que todos os SoCs Android recentes, tendo uma vantagem de quase 2x no desempenho. Eu não ficaria surpreendido se, caso normalizássemos  a energia usada, a Apple teria uma vantagem de eficiência de desempenho de 3x.

Vortex é o codename para os cores de performance do processador A12 da Apple (o A11 tem o codename Monsoon e Mistral).

O que é surpreendente é o quão próximos estão os A11 e A12 da Apple aos actuais CPUs de desktop. Eu não tive a oportunidade de executar as coisas de uma forma mais comparável, mas levando o nosso editor de servidor, figuras recentes de Johan De Gelas do início deste verão, vemos que o A12 supera um CPU Skylake. É claro que há considerações sobre o compilador e várias preocupações de frequência a serem levadas em conta, mas ainda estamos falando de margens muito pequenas até que os SoCs móveis da Apple superem os CPUs de desktop mais rápidos em termos de desempenho de ST. Será interessante obter números mais precisos sobre esse tópico nos próximos meses.

Há uma história antiga e muito interessante a contar, hoje que relembramos os 7 anos sobre a morte de Steve Jobs.

A história conta que Steve Jobs queria comer Sushi no Caffe Macs, a cantina no antigo campos da Apple. Naturalmente e a bom jeito, constratou o melhor chef para o staff. A mesma visão foi empregue para a filosofia de hardware da Apple quando ficou claro que o iPhone e futuros modelos, precisavam dos seus próprios Chips. Contas feitas, Steve Jobs foi à procura dos melhores Engenheiros do mundo, o resto é história..

Uma breve história do A

Em 2010, a Apple lançou o iPad com o processador A4, o primeiro chip desenhado pela Apple. Em 2012, a Apple deixou utilizar a arquitectura ARM, fazendo do A6 o primeiro processador desenhado na integra pela empresa.

Em 2013, o Apple A7 foi o primeiro processador de 64-bit para dispositivos móveis. Apanhou a Qualcomm e Samsung de surpresa e não só era superior como em muitos pontos aniquilava a concorrência. Mesmo hoje em dia, as duas empresas encontram dificuldades em atingir a mesma performance que os chips da Apple.

Em 2016, o Apple A10 Fusion ainda deixava o Samsung Exynos 8895 e o Qualcomm Snapdragon 835 envergonhados quando comparando performance em operações singlecore.

Tanto os chips da Samsung como a da Qualcomm conseguem ter uma performance superior em operações multicore, mas há 4 Núcleos de desempenho e 4 cores de alta eficiência no Galaxy S8 para os 2 Núcleos de desempenho e 2 de alta eficiência no iPhone 7. É literalmente preciso o dobro de capacidade de processamento para atingir os resultados dos processadores existentes no iPhone, e diga-se de passagem, não são nada eficiência como dizem ser.

Noutras palavras, não é nenhum mistério que mexer num iPhone ofereça uma experiência global mais suave do que qualquer outro dispositivo no mercado.

Em 2017, o Apple A11 Bionic levou a performance dos cores de alta eficiência aos valores dos Núcleos de desempenho e desbloqueou-os de forma a serem utilizados ao mesmo tempo. foi revelado que a empresa tinha passado 3 anos a desenvolver a integração do Neural Engine ao nível do silício.

O caviar do Silício

Parte do que faz da Apple uma empresa tão único é não vender os chipsets portanto não precisa de operar como um vendedor de silício. A Apple não precisa de se preocupar com o tempo de vida dos seus processadores.

A equipa da Apple responsável por toda esta tecnologia não precisa de se preocupar com limitações de qualquer tipo – apenas precisam de correr o iOS e as suas aplicações mais rápido. O seu “cliente” é esse e mais nenhum.

É um forma incrível de trabalhar para todas as lendas e para as melhores jogadores da industria estarem envolvidos num ambiente deste tipo. Para muitos, é um sonho tornado realidade.

Os primeiros resultados de valor que a equipa pôde apresentar foi o Apple A7. Os rumores de ser 64-bit estavam em alta, mas poucos acreditavam que a Apple o iria tornar realidade. A concorrência estava mais que satisfeita em aguentar a moda dos 32-bit e com poucas intenções de puxar a tecnologia em frente. Depois a Apple laçou o iPhone 5s e de repente, tudo mudou.

Dando tempo à equipa, a Apple é capaz de continuamente produzir soluções que integram todas as variáveis que a empresa precisa. A razão é simples, porque tem apenas de satisfazer o seu software.

A beleza de integrar Hardware e Software

Historicamente este tem sido um dos fatores mais diferenciadores da empresa, desde o tempo dos primeiros Macs. Desenhar o Hardware e o Software vai sempre trazer vantagens em relação à concorrência.

Enquanto outros precisam de adaptar a tecnologia presente nos seus Smartphones, a Apple providencia em toda a sua linha de produtos soluções todo-em-um.

Isto pode ser visto com a integração de uma variante do S1 do Apple Watch chamado T1 nos MacBook Pro para tomar conta de processos como o Touch ID, Apple Pay e outros aspetos de segurança. O T2 no iMac Pro é responsável pelo secure booting e substitui o que era tradicionalmente controladores dispersos. O W1 da Apple fez do Bluetooth a maior simplicidade nos AirPods e os aucultadores sem fios Beats. O W2 retirou a dependência que o Apple Watch tinha da conectividade com o teu iPhone.

Não é que a Apple queira produzir todos os seus processadores, mas sente-se que é desta forma que a empresa consegue criar experiências que geram experiências diferenciadoras para os seus clientes.

Conclusão

Num mundo em que a Qualcomm está mais preocupada em manter toda a industria refém nos tribunais, onde a Samsung depende de terceiros para produzir os seus chips e a Nvidia não é capaz de lançar um CPU e um GPU convincente, a Apple vai manter uma posição de vantagem sobre a sua concorrência.

Tens dúvidas e queres ficar a par das novidades e notícias do mundo Apple? Junta-te à comunidade Apple Fans Portugal no Facebook!

Acompanha-nos também nas redes sociais FacebookInstagram e no nosso canal Youtube.